17 de jan de 2010

Conheça o trabalho desenvolvido no Núcleo Barreiro de Cima


A Escola Estadual de Educação Especial Doutor Amaro Neves Barreto, localizada em Belo Horizonte, Minas Gerais, é uma instituição pública de educação especial que atende em média a 500 alunos com deficiência de características diferenciadas (autismo, paralisia cerebral e déficit cognitivo).

As atividades desenvolvidas no projeto Boneco Especial na instituição têm o seguinte objetivo: formação cultural, usando o teatro de bonecos, de alunos jovens e adultos com deficiência (déficit cognitivo e paralisia cerebral leve), através de construção de espetáculos, tendo como referência a arte educação. A equipe é formada pelos Bonequeiros e pedagogos Aparecida e Roberto Silva (Grupo Família Silva Teatro de Bonecos) e Débora Mazochi (Grupo Aldeia Teatro de Bonecos), sendo acompanhada por profissionais da terapia ocupacional que trabalham na instituição.

As atividades se dividem em:

1- História do Teatro de Bonecos.

2- Exercícios de Manipulação.

3- Contação de histórias.

Metodologia utilizada:

1. Oficina de Teatro de Bonecos.

Primeiramente, a direção da escola define o grupo que participa da oficina. Nesta fase são repassadas aos alunos informações relativas às diversas formas de manipulação de bonecos. Em seguida, os alunos experimentam técnicas do teatro de bonecos, tais como luva, fio, manipulação direta e boca articulada. Depois, são divididos em grupos para que cada um possa se especializar em uma forma de atuar dentro do teatro de bonecos.

Desse trabalho surgiu o grupo Brincadeiras de Boneco (sugestão dos alunos) e o espetáculo de cenas curtas “África Especial”. Nele a bonequeira Débora Mazochi coordenou o grupo que trabalhou com a manipulação direta, assim como contribuiu para a seleção da trilha sonora, dos figurinos e do texto para que, em caráter experimental, pudessem ser montadas algumas cenas para serem encenadas na instituição. Já a bonequeira Aparecida Silva coordenou o grupo de fios, assim como confeccionou os figurinos e acabamentos dos bonecos.

Neste processo, Roberto Silva ficou envolvido no desenvolvimento de equipamentos especiais, que possibilitassem ao cadeirante Manoel manipular bonecos.

O espetáculo foi apresentado com grande sucesso na Semana da Consciência Negra na instituição, Escola Estadual de Educação especial Doutor Amaro Neves Barreto, nos turnos da manhã e da tarde beneficiando a todos os alunos.


Um comentário: